domingo, 23 de Novembro de 2014

#1418



E eu sei. Eu sei que é tanto. Sei que é imenso o que nos une. Que por mais voltas que dermos o tempo não nos desliga. Que há sentimentos que não se quebram. Que há ligações que não se perdem. Que enquanto espero, tu aguardas. Que enquanto luto, tu batalhas. Que enquanto eu quero, tu ambicionas. Que quando eu venço, tu ganhas.

E eu sei. Sei que aquilo que é forte o tempo não apaga. Que quem espera desespera, mas também alcança. Que a solução existe e a persistência insiste. Que a presença conforta. Que a ausência traz o vazio. Que a saudade corta, mas fortalece.

E eu sei. Que não é um sonho. Que a realidade é dura, mas existe. Que o mundo é nosso. E de ninguém mais.

E eu sei. E tu sabes.

sábado, 22 de Novembro de 2014

#1417



Um bom dia juntos. Inteiros. Um bom dia dos dois. Unicamente nosso. Um bom dia ao ouvido e em surdina.

Um bom dia com certezas. Com determinações.
Com garra e convicções.

Um bom dia com sorrisos e mãos dadas.
Com um abraço que não esmorece e um beijo que apetece.

sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

#1416



Se sem ti vivo, continuarei a viver - ou a "subviver". Não preciso de ti: mas quero-te.
Não preciso de ti para respirar: mas o ar contigo é mais leve.
Não preciso que estejas aqui: mas quero partilhar contigo o mesmo espaço.
Não preciso de ti para sorrir: mas o meu sorriso ganha outra cor.
Não preciso de ti para viver: mas os dias contigo são sempre de sol.
Não preciso de ti para fazer uma birra: mas contigo as discussões são mais giras.
Não preciso de ti para um beijo: mas o sabor do teu é o que me sacia.
Não preciso das tuas mãos em mim: mas são essas que me levantam.
Não preciso de ti para um abraço: mas o teu é que me protege do mundo.
Não preciso de ti para ser eu: mas o nós é o que me fascina.

Tenho uma vida. Tenho os meus dias. Tenho as minhas birras. Tenho os meus sorrisos. Tenho as minhas maneiras de ser. Tenho as minhas coisas e manias. Tenho-me a mim.

É. Não preciso de ti. Mas quero-te.
Tanto e sempre.

quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

#1415



Adormecer contigo. Adormecer aconchegada na tua respiração ao meu ouvido. Adormecer embalada pelo som da tua voz.

Acordar contigo. Acordar aconchegada pelos teus braços em mim. Acordar embalada pelo som do teu beijo em mim.

Bom dia, meu amor.
Gosto de nos ter aqui.

terça-feira, 18 de Novembro de 2014

#1413


What am I to you
Tell me darling true
To me you are the sea
Vast as you can be
And deep the shade of blue

When you're feeling low
To whom else do you go
See I cry if you hurt
I'd give you my last shirt
Because I love you so

If my sky should fall
Would you even call
Opened up my heart
I never want to part
I'm giving you the ball

When I look in your eyes
I can feel the butterflies
I will love you when you're blue
Tell me darlin' true
What am I to you

Yeah well if my sky should fall
Would you even call
Opened up my heart
Never wanna part
I'm giving you the ball

When I look in your eyes
I can feel the butterflies
Could you find a love in me
Could you carve me in a tree
Don't fill my heart with lies

I will love you when you're blue
Tell me darlin' true
What am I to you
What am I to you
What am I to you 

segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

#1412



Beijo-te como se do meu ar se tratasse. Como se dele necessitasse para respirar. Sofregamente e com vontade. Com toda a urgência do que me apetece. Com todo o meu querer imediato. Com toda a pressa e respirar acelerado. Num desejo premente.

Beijo-te como se do meu ar te tratasses. Lentamente. Como que inspirando profundamente. Saboreando cada momento. Com a vagarosidade da calma. Sentindo cada segundo. Pausada e repetidamente. Num prazer descansado.

Beijo-te com pressa.
Beijo-te com tempo.
Mas beijo-te. Sempre.

domingo, 16 de Novembro de 2014

#1411



Um café quente e forte enquanto as gotas escorrem pela janela. Um beijo que aquece o dia com a chuva como música de fundo. Um abraço acompanhado do cheiro da terra molhada.

Bom dia, meu amor.
Que o dia seja calmo. E com um sorriso nos olhos.
AMO-TE. Tanto e sempre!

sábado, 15 de Novembro de 2014

sexta-feira, 14 de Novembro de 2014

#1409


A nossa vida não é uma única história. Não temos só um início, um meio e um fim.
A nossa vida é uma sucessão de várias histórias. Umas longas e plenas de importância; outras pequenas e que com o tempo deixamos de recordar.

Há histórias que pensamos que são intermináveis, que achamos que fazem parte do nosso todo. Que, a dada altura da nossa existência, achamos que nos vão acompanhar até ao fim, mas que com o correr da vida entendemos que não passam de mais um pedaço dela. Mais uma história para contar. Ou para guardar para nós.

Há histórias que mal nos recordamos, mas que acabam por construir aquilo que somos. Que mesmo que não recordemos na totalidade, nos deixaram alguma aprendizagem.

Há histórias. E depois há a nossa história.
A tua e a minha.
Interminável.
Inenarrável.
Impagável.
Adorável.