terça-feira, 16 de Setembro de 2014

#1351



Uma relação são pequenos nadas. São aquelas coisas, que até parecem ser birras e insignificâncias, mas que suportam os dias de um amor. É que um amor é difícil de manter! Dá trabalho, todos os dias. Mas os nadas do dia não podem ser um esforço. Têm de ser porque apetece. Espontâneos, porque se sente a falta.

Os nadas são um beijo que apetece quando não dá jeito. São um telefonema que se recebe a meio de um dia difícil, só para nos perguntarem se almoçámos. São quilómetros que se fazem porque o corpo precisa de um abraço. São horas que não se dormem porque temos de contar pela enésima vez aquilo que nos chateou. São um "amo-te" sem razão. Um beijo na testa quando nos cruzamos no corredor. São um apetece-me-qualquer-coisa-mas-vais-tu-ali-buscar-que-agora-estou-aqui-tão-bem. São uma carícia quando menos esperamos. Um beijo pela manhã quando ainda estamos despenteados e ensonados. São um olhar diferente no meio do supermercado. São silêncios confortáveis. São cumplicidades que ao mundo não interessa.

E são tudo isto ao contrário também. Reciprocamente. Não porque é uma troca, mas apenas porque nos sentimos bem.

De nada valem grandes actos. Grandes promessas. Muitos abraços-fofinhos-e-amo-te-muito-minha-paixão-e-vamos-mostrar-ao-mundo-que-somos-felizes.

Uma relação é feita de pequenos nadas. Que são tudo.

- Rita Leston -

sábado, 13 de Setembro de 2014

#1348


Com um bom dia e um sorriso. É assim que me apetece acordar. Sussurrar-te bom dia e dar-te um beijo bem disposto. Ouvir de ti lamechices e soltar uma gargalhada pela manhã. Começar o dia a brincar e a rir como uma miúda, enquanto o sol entra pela janela. Dar-te um beijo no pescoço, só para te provocar. Apetece-me ver-te sorrir pela manhã, enquanto me abraças com força para eu não te escapar. Apetecem-me disparates. Lutas de almofada! Quem perder vai à cozinha fazer o pequeno almoço!

Bom dia, meu amor. Vamos brincar?

sexta-feira, 12 de Setembro de 2014

#1347



Gosto de acordar vagarosamente contigo aqui ao lado. De um beijo trocado a ouvir a chuva lá fora.
De um abraço enrolado, que nos faz acordar para o dia.
De um café partilhado logo pela manhã.
De te roubar um sorriso rasgado que trago comigo.
De te deixar o meu coração contigo.

Bom dia, meu amor.
Sirvo-te café? Ou uma vida?

quinta-feira, 11 de Setembro de 2014

#1346



Não sou um doce de pessoa. Não sou fácil de aturar.
Tenho uma cabeça complicada.
Digo metade do que quero, mas espero que percebam tudo aquilo que pretendo.
Faço uma revolução quando quero algo. Determinada e teimosa. Mas confiável e leal.
Não deixo muita gente aproximar-se mas, quando o permito, dou tudo de mim.
E vou ao fim do mundo por quem amo.

quarta-feira, 10 de Setembro de 2014

#1345



Anda! Leva-me a ver a lua. Quero saber a que me sabe um beijo ao luar. Quero ver como brilham os teus olhos com a luz branca que vem lá do alto.
 Anda! Leva-me a ver a lua. Quero ver a sombra que um abraço faz. Quero olhar a dois as estrelas que a acompanham. Quero ouvir o silêncio que ela traz. Quero perder as horas enquanto a vemos passear pelo céu.
Anda! Levas-me a ver a lua?

terça-feira, 9 de Setembro de 2014

#1344



E quando tu pensares, ou chegares à conclusão - Sim porque eu vou conseguir que chegues lá! - que metade de mim és tu, deixa.me então dizer.te que a outra metade, só para que saibas, e fique bem claro, é ainda melhor: é o que sou contigo.