sábado, 2 de maio de 2015

#1577


 
Dás-me um beijo de bom dia? Um daqueles, tu sabes...

Um beijo de bom dia que faz sorrir por dentro. Que nos acorda e desperta. Que troca a alma de sítio. Que arrepia sem termos frio.

Um beijo de bom dia que nos faz sonhar com o beijo de boa noite. Que nos faz ansiar pelo fim do dia...


Dás-me um beijo de bom dia, meu amor?

sexta-feira, 1 de maio de 2015

#1576



Anda. Pega-me na mão e leva-me para dormir. Não acendas a luz que me fazes acordar. Deita-me, dá-me um beijo de boa noite e aconchega-me o cobertor. Deita-te ao meu lado devagarinho sem me acordares. Pousa só a tua mão na minha.
Gosto de te sentir assim por perto.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

#1576


Não sou fácil, eu sei.
Tenho as minhas manias e as minhas paranóias. As minhas exigências.
Sou difícil de complicada. Sou dura de ouvir. Sou directa e incomodo.
Sou difícil de me apaixonar. E não sou fácil de gostar. Amem-me ou odeiem-me.
Mas eu, ou não gosto de todo - odeio mesmo - ou amo por completo.
Com todas as falhas, todos os erros.
Com tudo aquilo que até pode incomodar, mas que é camuflado pelo tanto que é o melhor que há.
Quando quero, quero muito.
Quando gosto, gosto para ficar.
Quando amo, amo para sempre.

quarta-feira, 29 de abril de 2015

#1575



Bom dia, meu amor.
Sim, acordei birrenta e a reclamar.
Sim, quero ir passear.
Sim, quero o Verão.
Sim, quero praia e Bolas e Berlim.
Passeios na praia e pôr-do-sol no mar.
Sim, quero um beijo e um abraço.
Sorrisos e mimo. Colo e paixão.

terça-feira, 28 de abril de 2015

#1574



Sou de paixões violentas e amores calmos. Tudo ao mesmo tempo! E com a mesma pessoa!
 
Não sei ter só um amor confortável, preciso que as borboletas na barriga não se calem. Preciso de ter o conforto do ombro amigo e a urgência de um beijo que não pode esperar. Preciso de saber a quem rumo ao fim do dia, mas que me dêem a volta à rotina.
 
Preciso da estabilidade e preciso do inesperado. Preciso de quem me descanse e de quem me desencaminhe. Preciso das noites e dos dias.... Preciso dos risos e das lágrimas. Preciso da paz e da guerra. Preciso de me sentir viva e de sentir que faço viver.
 
Preciso de quem me ame e de quem se apaixone por mim todos os dias. Preciso de amar desmesuradamente e de me apaixonar perdidamente. Todos os dias.
 
Preciso de ti. E preciso de ti.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

#1573



Quando gosto, dou tudo de mim. Faço os maiores disparates por quem me é importante. Quando amo, vou ao fim do mundo. Quando acho que me merecem, o meu muro desfaz-se. As minhas guardas desaparecem. As minhas precauções não existem. Dou-me a mim. Dou o meu tempo e perco todas as minhas defesas.
 
Quando amo, espero ser amada com a mesma intensidade, urgência e querer. Espero que os disparates sejam de parte a parte. Que as cedências sejam naturais e de ambos os lados. Só porque...sim, só porque fazem sentido e apetecem. Quando amo só quero tudo.
Hoje, não sei ser de outra forma.
Quando amo, vou ao fim do mundo!

domingo, 26 de abril de 2015

#1572




When the world is darker than I can understand.
When nothing turns out the way I planned.
When the sky turns grey and there's no end in sight.
When I can't sleep through the lonely night.

I turn to you. Like a flower leaning toward the sun.
I turn to you. 'Cos you're the only one.
Who can turn me around when I'm upside down.
I turn to you.

When my insides are wracked with anxiety.
You have the touch that will quiet me.
You lift my spirit. You melt the ice.
When I need inspiration, when I need advice.

I turn to you. Like a flower leaning toward the sun.
I turn to you. 'Cos you're the only one.
Who can turn me around when I'm upside down.
I turn to you.

Where would I be? What would I do?
If you'd never helped me through.
I hope someday if you've lost your way.
You could turn to me like I turn to you.

I turn to you. Like a flower leaning toward the sun.
I turn to you. 'Cos you're the only one.
Who can turn me around when I'm upside down.
I turn to you.

sábado, 25 de abril de 2015

#1571



No final das contas é o que importa, é o que fica - o amor que se compartilha além das palavras.
(GR)ATITUDE.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

#1570

 
Tu e eu não somos uma coisa fácil. Não somos simples. Somos retorcidos no nosso querer. Ludibriamos a nossa vontade. Mascaramos o nosso querer. Revolvemos as nossas saudades. Calamos o apetecer.

Tu e eu não somos uma decisão de ânimo leve. Não somos conversas fáceis. Não somos calmaria e sossego. Não somos ideias claras. Não somos respostas e sorrisos.

Tu e eu somos nós. Desejosos. Teimosos. Rec
eosos. Curiosos. Um turbilhão que desassossega o outro. Uma imensidão que ao outro avassala. Somos perguntas caladas e pensamentos de vontade. Dúvidas presentes e convicções aparentes. Obstinados. Apaixonados. Quietos. Calados.

Tu e eu.
Apenas (teimosamente) nós.
A sós.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

#1569



O abraço que sossega.
O beijo que acalma.
O olhar que sorri.
O colo que mima.
O silêncio que dá paz.
Um abraço longo e apertado.
Um beijo calmo e sossegado.
Mãos dadas e um afago.
Hoje, era só isto....
Nada mais que isto.